Partidos lançam 13 candidatos à Presidência da República

Presidential candidates are seen during their first televised debate at the Bandeirantes TV studio in Sao Paulo, Brazil August 9, 2018. (L-R) Presidential candidates Alvaro Dias of Podemos, Daciolo of Patriots, Geraldo Alckmin of Brazilian Social Democratic Party (PSDB), Marina Silva of the Brazilian Sustainability Network Party (REDE), Bandeirantes TV journalist Ricardo Boechat, Jair Bolsonaro of the Party for Socialism and Liberation (PSL), Guilherme Boulos of the Socialism and Freedom Party (PSOL), Henrique Meirelles of the Brazilian Democratic Movement (MDB) and Ciro Gomes of the Democratic Labour party (PDT). REUTERS/Paulo Whitaker

Com fim do prazo previsto na legislação eleitoral para definição dos candidatos que pretendem concorrer às eleições de outubro, 13 candidatos e seus vices confirmaram que vão disputar a Presidência da República.

Veja a lista de candidatos e seus vices, em ordem alfabética:

  1. Alvaro Dias (Podemos). Vice: Paulo Rabello de Castro (PSC)
  2. Cabo Daciolo (Patriota). Vice: Suelene Balduino Nascimento (Patriota)
  3. Ciro Gomes (PDT): Vice: Kátia Abreu (PDT)
  4. Geraldo Alckmin (PSDB). Vice: Ana Amélia (PP)
  5. Guilherme Boulos (PSOL). Vice: Sônia Guajajara (PSOL)
  6. Henrique Meirelles (MDB). Vice: Germano Rigotto (MDB)
  7. Jair Bolsonaro (PSL). Vice: Antonio Hamilton Mourão (PRTB)
  8. João Amoêdo (Novo). Vice: Christian Lohbauer (Novo)
  9. João Goulart Filho (PPL). Vice: Léo Alves (PPL)
  10. José Maria Eymael (DC). Vice: Helvio Costa (DC)
  11. Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Vice: Fernando Haddad (PT)
  12. Marina Silva (Rede). Vice: Eduardo Jorge (PV)
  13. Vera Lúcia (PSTU). Vice: Hertz Dias (PSTU)

Segundo a legislação, as chapas completas com os candidatos, vices, alianças ou coligações têm de ser oficializadas até esta segunda-feira (6) na Justiça Eleitoral.

A partir de agora, as legendas poderão registrar seus candidatos à Presidência no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O prazo termina no dia 15 de agosto, às 19h. Em seguida, caberá ao Ministério Público Eleitoral (MPE), qualquer candidato, partido político ou coligação impugnar o registro do adversário político.

Para tanto, na fundamentação que deve ser enviada ao tribunal, o impugnante deverá apresentar argumentos jurídicos contra o registro da candidatura, como algum impedimento legal previsto na Lei da Ficha Lima que gere inelegibilidade. Caberá a um ministro do TSE analisar os argumentos e decidir se o candidato poderá disputar as eleições.

A propaganda eleitoral por meio de carros de som, comícios e internet estará liberada a partir do dia 16 deste mês.

O primeiro turno do pleito será realizado dia 7 de outubro e segundo.

Comentários do Facebook
SHARE