Uma “mega indústria” pode anunciar grande investimento em Garuva

Foto ilustrativa – Fonte: ND Online – Luiz Veríssimo

Depois de Araquari com a BMW, agora parece ser a vez de Garuva com o Terminal Portuário de Itapoá. Na próxima semana, o secretário de desenvolvimento Econômico e Sustentável da Prefeitura de Garuva vai participar de uma reunião que poderá confirmar a vinda para o município de uma “mega empresa”. Clinton Luiz Severiano adianta que muitas empresas, entre elas chinesas e alemãs, já manifestaram interesse em se instalar na cidade. Garuva está na divisa com o Paraná.

O maior investimento a ser viabilizado nos próximos anos é a tão esperada Usina Térmica a Gás da Tractebel S/A, um projeto que conta todas as licenças ambientais aprovadas e também uma extensa área já adquirida na localidade de Mina Velha (Distrito Industrial Leste). A usina será uma parceria entre a francesa Angie (dona da Tractebel) e a norueguesa Golar Power. Segundo o presidente da Angie, Eduardo Sattamini, o investimento desta usina de gás natural será de US$ 600 milhões (cerca de R$ 2 bilhões) e produzirá 600 megawatts.

Um dos principais responsáveis por este futuro promissor de Garuva é o Terminal Portuário de Itapoá, que em breve terá ligação direta com a BR-101, o chamado contorno de Garuva. Uma maior expansão de empresas de logística portuária dentro do município está prevista para os próximos anos em função do porto. “Outra vantagem é não termos especulação imobiliária e nossos terrenos serem abaixo da média da região”, lembra Severiano. Ele ressalta também o fato de o município estar às margens da BR-101, próximo do aeroporto de Curitiba e a meia hora de Joinville.

A belga Tractebel, que foi adquirida pela francesa Angie (ex-GDF Suez) assumiu a Gerasul no processo de privatização em 1998. Por isso, a sede da empresa multinacional está em Florianópolis. A Angie é a maior geradora privada de energia elétrica do Brasil, onde conta com 31 usinas. Sua produção corresponde a 6% da capacidade do país. A CEO da Angie é francesa Isabelle Kocher, 51 anos, mãe de cinco filhos. Ela iniciou no Grupo Suez e desde maio de 2016 é a principal executiva desta multinacional.

Durante a audiência pública realizada em 28 de setembro de 2015, executivos da Tractebel revelaram que a obra da Usina de Geração de Energia Elétrica com gás natural como combustível vai exigir 32 meses, 337 empregos diretos e 678 indiretos. Quando estiver operando, serão 60 diretos e 120 indiretos. Sua capacidade instalada será de 600 MW, equivalente ao consumo de uma cidade com 1,8 milhões de habitantes.

Comentários do Facebook
SHARE